Oi, gente!

O livro do qual falarei hoje é um pouco diferente dos que resenho normalmente por aqui. Primeiro, porque não é de ficção. Depois porque não é voltado apenas para o público jovem. Apesar do título digno de Nicholas Sparks, “Para poder viver”, de Yeonmi Park, é uma autobiografia.


O livro conta, em primeira pessoa, a história de Yeonmi Park, desde a sua infância miserável na Coreia do Norte, onde a população simplesmente desconhece o significado de liberdade, até os dias de ativista na Coreia do Sul. No país onde Yeonmi cresceu, desaparecimentos são normais, e o resto do mundo é considerado o inimigo, enquanto o ditador Kim Jong Un é adorado e considerado o “paizinho” de todos. No país onde ela nasceu, assistir filmes de hollywood pode te fazer ir preso em um campo de trabalhos forçados. Yeonmi vive em uma aldeia, com a irmã, Eunmi, a mãe e o pai. Quando o pai é preso, eles percebem que seguir o mesmo caminho é questão de tempo. Fugir é uma decisão difícil, pois se forem descobertas, são mortas no mesmo instante pelo governo. Aos treze anos, Yeonmi foge pela China, através do deserto de Gobi até a Mongolia, em direção à Coréia do Sul. Testemunha, em primeira mão, a violência e o contrabando de pessoas, enquanto procura pela irmã, de quem se separou ainda do outro lado da fronteira.


Sabe aquela sensação que temos ao ver as áreas mais pobres do nosso país no Globo Repórter? Ou então ver miséria, exploração, tráfico de mulheres em documentários do gênero? Crianças comendo palma? Multiplica por mil. É pensar que, por mais precária que esteja a nossa situação, na Coréia do Sul eles estão infinitamente piores. 

Se a sua intenção ao ler um livro é escapar das agrúrias da vida e não se sentir mal, nem abra. Não é uma leitura fácil. Mas se você gosta de aprender sobre outras culturas, entender o que leva toda uma população a apoiar um ditador como Kim Jong Un, mesmo não tendo nem energia elétrica, esse livro é maravilhoso. 


A leitura desse livro é obrigatória para os saudosos da ditadura, para entenderem o que é ser provado do direito de ir e vir, não poder falar mal do governo, ter toque de recolher e conviver com o desaparecimento das pessoas mais próximas como algo rotineiro.


Além da história da garota que, com apenas 21 anos, se tornou ativista pelos direitos humanos, o livro disponibiliza também fotos de infância dela e da sua família, o que nos aproxima da narrativa envolvente. 


Tem também um mapa, para entendermos exatamente por onde ela passou. 


Quando li “Para Poder viver”, eu tinha acabado de assistir ao documentário da VICE sobre a Coréia do Norte (The VICE guide to North Korea), e ficado abismada com o que vi. E agora, com a ameaça de uma guerra entre o membro do eixo do mal e os Estados Unidos, torna-se ainda mais necessário se informar a respeito. Coloco aqui o link para o documentário, para quem fala inglês e quiser saber mais.


E aqui está o discurso dela, com legenda em português.


Gostaria de avaliar esse livro em termos das estrelas que ajudaram a guiar a Yeonmi para a liberdade. Apenas 5 não bastariam. Eu precisaria de um céu inteiro. Se você me acha brega, dê uma olhadinha no discurso dela acima, e me diz se não se emocionou. 

Meu veredicto? Simplesmente imperdível.

Beijos da Lari (LEITORA EM SÉRIE)

Ficha técnica:
Título: Para poder viver – A jornada de uma garota norte-coreana para a liberdade.
Gênero: Memórias
Número de páginas: 308

Editora: Companhia das Letras


Olá, tudo bem?

Hoje trago para vocês os mais novos lançamentos da Editora Novo Século. Nesse mês de Abril, a Editora está investindo no lançamento de "Viúva Negra - Vermelho Eterno", sim, aquela heroína tão conhecida de "Os Vingadores".

SINOPSE: "Então os olhos dela se fecharam, e fogo e caos e morte e ruído desapareceram. Assim como a mulher dos cabelos ruivos."                              NATASHA ROMANOFF é uma das assassinas mais letais do mundo. Treinada desde a infância nas artes da morte e da mentira, Natasha recebeu o título de Viúva Negra de Ivan Somodorov, seu brutal professor, na Sala Vermelha, a infame academia de Moscou para agentes.
AVA ORLOVA busca se adaptar como uma adolescente comum do Brooklyn, mas sua vida tem sido tudo, menos comum. Filha de um físico quântico russo desaparecido, Ava foi submetida a uma série de cruéis experiências militares – até ser resgatada pela Viúva Negra e posta sob proteção da S.H.I.E.L.D. Ela sempre teve o desejo de retomar o contato com sua misteriosa salvadora, mas a Viúva Negra não faz muito o tipo “irmã mais velha”. Até agora.
Quando crianças de toda a Europa Oriental começam a desaparecer, e rumores de contrabando da tecnologia da Sala Vermelha se espalham, Natasha suspeita que seu velho professor possa estar de volta – e que Ava Orlova talvez seja a única capaz de detê-lo.
VIÚVA NEGRA: VERMELHO ETERNO apresenta a todos os leitores uma aventura no melhor estilo Marvel, apresentada por Margaret Stohl, autora best-seller do The New York Times. Descubra uma nova faceta do Universo Marvel que promete emocionar desde os fãs mais assíduos até os recém-chegados. A história jamais revelada da Viúva Negra vem à tona pela primeira vez.

Olá meus gnomos, tudo bem?

A resenha de hoje é do livro "Tudo por um Sonho" da minha querida Ruth Arnaldo. A Ruth foi uma das autoras que acabei criando um vínculo no meio literário, e este livro foi um dos que participei como Beta. Ver a criação da obra foi incrível e a autora mais uma vez se superou!

Tudo por um Sonho
Autora: Ruth Arnaldo
Páginas: 223
Nota: 💙💙💙💙💙 / Favoritado
Onde comprar: Amazon

SINOPSE: Você tem um sonho? Rosa tem o dela.
Mesmo sendo uma garota simples e que pouco conhece do mundo, fora da sua segura casa ao lado do pai e dos irmãos, uma chama queima no seu peito, ela sonha em ser uma atriz de sucesso, esse é o seu sonho e está disposta a vivê-lo.
Você acredita no destino? Juan nem um pouco. Ele um jovem milionário, filho do todo poderoso das comunicações, dono da maior Rede de TV da Espanha, segue sua vida se divertindo em estampar matérias de fofocas de jornais e revistas com escândalos e confusões.
Em uma noite típica na vida de Juan Martinez seu mundo colidiu com o de Rosália. Em um instante ele dirigia seu carro pela noite iluminada de Barcelona e no instante seguinte uma bela garota jazia desacordada nos seus braços... Quis o destino que Juan atropelasse Rosa nesta noite e a deixasse presa a uma cadeira de rodas... Mas, esse seria o fim dos sonhos de Rosa? Te convido a embarcar nesta história contagiante, quente e encantadora. Deixe-se envolver por este casal improvável, e apaixonante... E ao final desta jornada descubra-se inspirado a fazer “Tudo por um sonho”.

Oii meus amores, tudo bem?

Ando meio sumidinha né?! Mas tudo tem uma explicação e em breve teremos algumas novidades por aqui!

Hoje, trago um post de Primeiras Impressões do livro Lacrymosa da Juliana Daglio. Vamos lá ver o que achei da obra?
SINOPSE: O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição. Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha. Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas. Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus próprios demônios interiores.